• Paula Teshima

Evolua pelo Amor e Acabe com o Sofrimento

Uma das coisas que mais tiram a paz de pessoas mais velhas, pessoas apegadas ao passado e pessoas teimosas, é a dificuldade em se adaptarem às tecnologias modernas. 


Elas quererem reviver um passado bom, seguro e agradável, mantendo os mesmos hábitos antigos. "O que está bom não se mexe", não é o que sempre dizem? Então, para que mudar, se arriscar, quebrar a cabeça, pensar, aprender algo novo, e sair daquela zona confortável, segura e estável? 


Quando você começa a entender que o propósito principal de todo ser humano é evoluir, não faz mais sentido ficar preso ao passado e por realidades que não existem mais. A verdade é que quem decide não evoluir, irá sofrer muito, pois a lei universal nos faz evoluir pelo amor ou pela dor. Você tem, livremente, o poder de escolher como evoluir. 


Pelo Amor - é quando você mesmo decide, por exemplo, praticar exercício físico porque sabe que vai fazer bem para sua mente e seu corpo, e você um grande prazer e alegria ao realizá-lo. Já, pela Dor - é quando você decide fazer exercícios porque tem algum problema de saúde, ou seja, você não está fazendo isso com prazer e por livre espontânea vontade. Geralmente, você foi obrigado a fazer porque alguém o recomendou. Portanto, se você não quer sofrer, opte pelo caminho do amor - faça o que você não gosta, trabalhe na suas emoções inferiores, aprenda algo novo todos os dias, saia da sua zona de conforto... 

Se você conseguir se adaptar às tecnologias do mundo moderno - smartphones, internet, compra e venda online, aplicativos, entre outras tecnologias que vieram para facilitar e agilizar o nosso dia a dia, você terá maiores chances de ter uma vida feliz, mais tempo livre e terá mais energia para gastar em coisas que são realmente úteis e necessárias. 

Uma pessoa que está sempre se adaptando ao meio em que ela se encontra, está sempre aprendendo coisas novas, melhorando aqui e ali, e nunca fica parada. 


Se, segurança, é a prioridade número um na sua vida, significa que as coisas andam fluindo muito devagar. Na verdade, valorizar demais a segurança, a estabilidade e a tranquilidade são consequências de quem possui muito medo interno. Medo de se arriscar, de não se achar competente, de se sentir inferior, de críticas, de não trocar o certo pelo duvidoso, de fracassar de novo, de não ter dinheiro... Quem tem este tipo de pensamento não percebe que quanto mais medo tiver, mais medo irá atrair para si, se tornando real. Se a pessoa não se cuidar, vira uma bola de neve de medo, medo e mais medo, prejudicando-a em todas as áreas. 


Se você está procurando um certo emprego que vai lhe trazer estabilidade e segurança financeira, não é estabilidade nem segurança que você quer. O que você quer é não sentir o medo que está no seu interior - medo de não ter dinheiro, de ser demitido, de ser rejeitado, de ser incapaz... 


Da mesma forma, se você quer um marido para se sentir protegida, segura e ter companhia, é porque você tem medo da solidão, de ser agredida, de ser assaltada... 

Analise a sua vida toda, pense nas suas vontades e desejos, e veja se não é um motivo egoístico. Trabalhe diariamente nos seus medos para tentar atenuá-los, e não potencializá-los mais ainda.


Paula Teshima


São Paulo, 16 de agosto de 2016 

www.paulateshima.com

0 visualização

E-mail:

contato@paulateshima.com

Whatsapp:

(11) 99881.0280

Seg - Sex: 14:00 - 00:00

​​Sábados: 14:00 - 19:00

​Domingos e Feriados: 14:00 - 18:00

  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
Para entrar em contato com a Paula ou sua equipe, utilize o formulário abaixo.

© 2009-2020 Paula Teshima - Todos os direitos reservados.