Minhas Experiências com Meditações

Nunca fui fã de ficar parada, refletir, ficar sem pensar em nada ou entoar algum mantra. Achava perda de tempo, até porque era difícil deixar a mente quieta diante de tantas coisas que se tem para fazer no dia a dia. 


Mas em 2016 assisti uns vídeos falando sobre meditação e que é bom fazer assim que levantar da cama de manhã. Comecei a praticar todos os dias... sentada na cama mesmo, coluna ereta, não é recomendado fazer deitada porque o prana, chi, ki... não entra pelo chacra coronário... ou seja, tem que fazer de manhã quando essa energia está mais presente na atmosfera. Claro que pode fazer qualquer outra hora, mas para a finalidade de energizar todos os chacras e restaurar a saúde por completo, o ideal é no período da manhã, por uns 10 minutos.

Depois de praticar por uns 25 dias diretos, comecei a sentir a diferença no dia a dia. Aonde? Antes da tomada de decisões pessoais. Principalmente quando ficamos mais inconscientes no mundo lá fora, rodeado de tentações, barulhos, pessoas, propagandas... 


Até hoje lembro da primeira conversa mental comigo mesma: eu estava no shopping, tinha ido fazer uma compras e estava descendo as escadas rolantes pra ir embora, quando pensei: "Já que estou aqui, vou aproveitar ir lá no Mc Donald's almoçar, porque eles não entregam mais em casa." aí de repente veio uma vozinha na minha mente: "Mas está cedo, não é hora do almoço agora!" pensei: "Mas eu quero, estou com vontade, não tem problema, almoço cedo." me disse: "Você sabe que não é nada saudável né e vai te fazer mal. Não é melhor comer o almoço de casa?" Desisti e voltei pra casa. Não me lembrava de nunca antes ter tido uma conversa comigo mesma desse tipo. Sempre costumava satisfazer minhas vontades, nunca me policiava. E não foi tão difícil desistir da ideia de comprar o lanche, talvez, naquele momento eu fiquei tão surpresa com o que aconteceu que isso me distraiu e fez esquecer a vontade de comer. Nos dias seguintes continuei a ouvir essa voz da sabedoria do meu consciente me alertando, me ajudando a ficar consciente das minhas demais escolhas. E até hoje ouço constantemente, uso a técnica do elástico no pulso pra me controlar, me vigio a todo momento.

Enfim, o que a meditação ajuda? Ela ajuda a deixar sua mente consciente mais ativa e sufocar/abafar/diminuir o poder da mente inconsciente. Sendo especialmente útil quando ficamos mais inconscientes - numa discussão, quando surge um problema, uma frustração, uma falha nossa ou do outro... No dia a dia normal a mente inconsciente fica muito mais ativa que a mente consciente, para não gastarmos muita energia, para fazermos as coisas sem pensar, no piloto automático, etc. Mas quando as coisas saem fora dos eixos ou quando nossas emoções negativas vêm à tona... ficamos praticamente 100% inconsciente, ativamos a amídala, e reagimos sem pensar, como um animal, por puro instinto ou pelo padrão programado no inconsciente. É nessas horas que precisamos voltar a ativar rapidamente a mente consciente para não entrarmos em brigas, não gritarmos, não fazermos coisas que nos arrependeríamos depois, não agredirmos os outros, não comprar tal comida que não podemos comer, etc. Aquela vozinha que ouvi e ouço sempre é a da minha mente consciente que treinei pra ficar acordada, ativa, alerta, vigilante nas minhas ações.


Ter uma mente consciente forte, dominante, poderosa, capaz de controlar os impulsos equivocados e inesperados vindos da mente inconsciente, é considerada uma super habilidade hoje em dia. Não precisamos, nem devemos ficar dependendo dos nossos pais, chefes, superiores... pra nos controlar o que devemos fazer ou não, o que é certo ou não, o que podemos ou não... tendo adquirido certos conhecimentos, temos a capacidade de tomar decisões sábias, enriquecedoras, produtivas, o que é melhor para todos, sobretudo, para nossa vida pessoal. Pois, se somos adultos, se ninguém mais nos controla, nem nos controlamos, aonde vamos parar? Provavelmente é o que acontece com a maioria da população. A escola, nossos pais, a mídia... não nos ensinou a meditar ou alguma outra forma de termos autocontrole... apesar de que hoje em dia isso está sendo mais divulgado e em muitas escolas há aulas e momentos de meditação. Sendo que os filhos estão ensinando os pais de hoje a meditarem... esperamos uma transformação, lenta, e que as crianças e jovens de hoje se tornem adultos mais conscientes do seu papel na sociedade.


Quanto mais meditarmos, mais fortaleceremos o músculo mental, mais resilientes nos tornamos em momentos de adversidades. Certamente, vale a pena meditar, descansar a mente, relaxar ou refletir sobre os acontecimentos que vivenciou. De 5 a 20 minutos diários é o suficiente para aliviar o estresse e manter uma vida mais equilibrada. Se não conseguir meditar por longos períodos, não tem problema, pratique várias vezes ao longo do dia por um curto período de tempo, inclusive, essa forma é até mais eficaz do que fazer tudo de uma vez.


Paula Teshima


São Paulo, 13 de novembro de 2019 

www.paulateshima.com

1 visualização

E-mail:

contato@paulateshima.com

Whatsapp:

(11) 99881.0280

Seg - Sex: 14:00 - 00:00

​​Sábados: 14:00 - 19:00

​Domingos e Feriados: 14:00 - 18:00

  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
Para entrar em contato com a Paula ou sua equipe, utilize o formulário abaixo.

© 2009-2020 Paula Teshima - Todos os direitos reservados.