Por que o Coronavírus Não Atinge Tanto a Classe Baixa?

Você já percebeu que pessoas mais simples, pobres, que tem poucos hábitos de higiene e recursos financeiros... típico das que moram no interior, perto do mato ou longe dos grandes centros urbanos, geralmente têm mais saúde e são mais resistentes a vírus, infecções e outras doenças que assolam a classe média e alta?


Você já parou pra se perguntar ou até a ficar com pena de como essas pessoas irão ter dinheiro para fazer certos tratamentos caros, se cuidar adequadamente como você se cuida, e até a ter condições de comprar alimentos especiais (e mais caros) para quem tem alergia ao glúten, por exemplo?

Ou então, como que essas famílias pobres em que convivem e dormem todos no mesmo quarto, pai, mãe, avô, filho, neto... irão se proteger do Coronavírus? E depois, como terão condições de se cuidarem?

O fato é que o homem não consegue evoluir fisicamente na mesma velocidade que a tecnologia, as descobertas, ideias e inovações do mundo moderno. Nosso corpo ainda não está preparado para enfrentarmos certas adversidades que o próprio homem cria, principalmente se esse foi privado de vivenciar coisas importantes durante a infância. Ou seja, o quanto de imunidade seus pais lhe proporcionaram quando você era bebê e criança através do contato com a terra, animais da fazenda, plantações, etc. Ou o quanto seus pais lhe protegeram dos vírus e bactérias, da higiene excessiva em limpar a chupeta toda vez que caía no chão, de não te deixar colocar a mão na boca, de não te deixar engatinhar qualquer lugar... E ainda, você nasceu de cesariana ou parto normal? Se foi este último, ótimo, você naturalmente adquiriu muitas bactérias e outros microorganismos importantes para construir um sistema imunológico mais forte. Se foi de cesariana, sinto muito, pode ser que foi mais cômodo ou necessário para sua mãe, mas se o obstetra não te colocou em contato com a placenta e o canal vaginal da sua mãe (poucos fazem isso)... as chances são de que você perdeu uma grande oportunidade de criar resistência imunológica para o seu futuro. Há, ainda, um outro fator relevante que faz baixar sua imunidade constantemente - você tem o perfil esquizóide? Esse tipo de personalidade faz com que você saia do seu corpo pelo topo da cabeça ou nuca, sem querer, toda vez que se sente desconfortável, rejeitado, mal com algo ou alguém, na tentativa de fugir ou sumir da situação desafiadora. Quanto mais presentes estivermos, mais "presos" ficamos no corpo, e quanto mais conscientes dessa presença, mais saúde teremos. Por isso que pessoas muito aéreas, que ficam focadas mais no passado ou no futuro, e pessoas espiritualistas que vivem no mundo espiritual ou fazem muitas práticas meditativas, costumam ser muitos sensíveis em termos energéticos e de saúde também. Pra essas pessoas, é preciso focar mais no lado material, no corpo físico, viver o agora, viver esta vida terrena, cumprir seu propósito de vida, deixar um pouco de lado as vidas passadas ou o período entre-vidas, e fazer as coisas da Terra. Há, também, o estresse, ansiedade e outras doenças que abaixam a imunidade.


O que quero dizer com isso? 

Quanto mais o homem se moderniza, adquire coisas luxuosas, práticas, confortáveis e vive preocupado com a higienização corporal e dos ambientes... menos imunidade e resistência ele tem para combater os vírus, bactérias, etc. que entra em contato. Mais fraco e frágil ele se torna. Em outras palavras, quanto mais o homem vive de uma forma mais primitiva, natural, bruta, na roça, na rua, em condições precárias de higienização (não tanto assim)... mais o seu corpo cria anticorpos de defesa aos mais variados tipo de invasores, mais preparado o corpo estará para combater os agentes estranhos, porque o sistema imunológico está bem ativo. E isso vem desde criança. Mudar esses hábitos depois de adulto não resolve muito.

Fazendo uma analogia, é como um cachorro de rua vira-lata e um que vive no colo da madame. Se este, de repente, for pra rua... rapidamente irá pegar alguma doença e morrer. Os viras-latas e os animais silvestres vivem como e aonde eles têm que viver. No mato, na rua, sujos, sem vacinas...


Sabe por que você tem que ficar limpando o ouvido do seu cachorro ou dando banho nele constantemente? Simplesmente porque ele vive na sua casa desde que nasceu, não entrou em contato com bactérias, vírus e germes essenciais para ele poder desenvolver imunidade e combatê-los sozinho - sem vacinas, sem pomadas, sem limpeza, sem anti-pulgas, sem vermífugos, sem medicamentos... Se esse mesmo cão tivesse nascido em uma floresta, rodeado apenas por outros cachorros, certamente seu corpo, sozinho, iria obter resistência contra vírus, bactérias e outras enfermidades futuras.


Portanto, você pode reparar, esse Coronavírus atinge mais a classe média e a classe alta, inclusive dando maior incidência em países de primeiro mundo. Mendigos, favelados e a classe baixa são os menos afetados em questões envolvendo vírus e bactérias, inclusive aos vírus considerados mais potentes como o de agora. Estes recorrem aos serviços médicos muito mais por problemas nos órgãos ou nos ossos, no caso de fraturas. Já, problemas digestivos, alergias alimentares e cutâneas, são muito mais frequentes em pessoas mais abastadas ou que sempre moraram "protegidas" nas grandes cidades. A realidade é: quanto mais higiene você teve quando criança, maiores chances de adoecer quando adulto. Ou melhor, se você teve uma ótima higiene quando criança, deverá continuar tendo essa mesma higiene para o resto da vida, senão irá dar problemas. Não estou dizendo que não é para não ter higiene e viver na imundície. Só que o homem moderno perdeu o contato com a natureza e alguns acabaram tendo hábitos excessivos de limpeza e higienização. Aliás, vírus e bactérias todo mundo pega... a diferença está em quem será sintomático, assintomático e quem conseguirá combatê-los ou não.

Paula Teshima

São Paulo, 31 março de 2020 

www.paulateshima.com

1 visualização

E-mail:

contato@paulateshima.com

Whatsapp:

(11) 99881.0280

Seg - Sex: 14:00 - 00:00

​​Sábados: 14:00 - 19:00

​Domingos e Feriados: 14:00 - 18:00

  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
Para entrar em contato com a Paula ou sua equipe, utilize o formulário abaixo.

© 2009-2020 Paula Teshima - Todos os direitos reservados.