• Paula Teshima

Por que os Animais Têm que Morrer?

Você ficou triste quando seu Pet se foi? Ou conhece alguém que está nesse exato momento passando por isso? Apesar de ser um evento negativo, isso poderá abrir muitas portas, experiências e novidades na sua vida. 


A vida é feita de ciclos. Tudo que existe aqui na Terra está em um processo constante de mudanças. Por mais que você tenha a impressão de que os objetos estão parados, na verdade, eles estão passando pelo processo de desgaste, degradação e deterioração. Seus átomos, moléculas e outras substâncias que são invisíveis a olho nu, estão em constante movimento. Isso tudo existe para que coisas velhas e desgastadas morram e tenham a oportunidade de renascer. 

Assim como os humanos, os animais possuem alma também. O processo de morte e renascimento acontece de forma semelhante à nossa. Quando eles percebem, intuitivamente, que não conseguem mais ajudar aquele dono ou aquela família, ou que realmente cumpriu a sua missão nessa vida, eles vão embora de alguma forma – fugindo do lar, sofrendo um acidente ou contraindo uma doença. Para nós é uma situação muito delicada e de sofrimento, porque não entendemos o porquê disso estar acontecendo. Nessas horas, o melhor que se tem a fazer é rezar da sua maneira. Seja meditando, seja fazendo uma prece ao seu mentor. 



A morte não é o fim


Quando um Pet morre, somente o corpo físico padece, mas o espírito que animava aquele corpo, continua a viver eternamente. 

O processo de reencarnação ocorre devido a evolução da alma. Como eles têm muita pressa em evoluir cada vez mais, sua expectativa de vida na Terra é bem inferior ao dos humanos. Em cada vida, como são bastantes agitados e curiosos, eles adquirem muitas informações, aprendizados e experiências enriquecedoras. Geralmente, permanecem de 10 a 30 dias no plano astral, pois querem voltar logo a conviver com os humanos para continuar evoluindo. 

A morte é um processo natural


Os animais, assim como nós e todos os outros seres vivos, têm que morrer. A morte não deve significar algo totalmente negativo. 


Por exemplo, quando um Pet está velhinho, quase não consegue mais andar direito, não brinca muito e sente dores, não consegue mais aprender e evoluir tanto quanto antes. Eles não querem perder tempo aqui na Terra ficando ociosos e inválidos. Eles pensam: “Como que vou aprender mais, ter novas experiências, ajudar meu dono a conhecer novas pessoas quando passeamos, se eu fico o dia inteiro na minha caminha, com dores, sem fazer nada?” Os mentores espirituais do Pet reconhecem essa situação e decidem que, em muitos casos, o melhor a se fazer é voltar para o plano astral, dar lugar para um novo Pet que tenha condições de ajudar aquele humano, e ele terá uma nova oportunidade de renascer num corpo sadio, jovem e forte para continuar o que todos mais querem: evoluir. 

Nesse aspecto, eles são muito mais sábios e conscientes que muitos seres humanos que vivem um dia após o outro sem perspectiva de vida, sem propósito, sem brilho no olhar. 

Aceitação


Para aceitar a morte com mais tranquilidade, é preciso enxergá-la por outro viés. Direcione seus pensamentos para o lado positivo da situação. Por trás de uma grande sombra sempre há uma grande luz o aguardando. Algo grandioso que poderá mudar a sua vida. Basta expandir a sua mente e ficar atento às oportunidades. Quanto mais você focar no aprendizado, na experiência e na mensagem que a situação lhe mostra, conseguirá lidar mais fácil com qualquer problema.


Paula Teshima


São Paulo, 24 de agosto de 2016 

www.paulateshima.com

0 visualização

E-mail:

contato@paulateshima.com

Whatsapp:

(11) 99881.0280

Seg - Sex: 14:00 - 00:00

​​Sábados: 14:00 - 19:00

​Domingos e Feriados: 14:00 - 18:00

  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
Para entrar em contato com a Paula ou sua equipe, utilize o formulário abaixo.

© 2009-2020 Paula Teshima - Todos os direitos reservados.