Por que Passamos Mal ao Doarmos Energia?

Estava eu relendo um livro... quando me veio a pergunta: Se ao doarmos energia nos sentimos melhor (porque isso estava em excesso), por que tem vezes que passamos mal ao fazer isso para uma pessoa ou diante de um público grande? Não estava entendendo, não me fazia sentido. Precisamos doar para nos sentir bem... mas não entendi por que já passei mal ao invés de ficar bem. Fiz essa pergunta em voz alta... e continuei a ler o livro. Tipo, a resposta não estava no livro, nem era isso o assunto do livro. Sabia que a resposta iria vir depois, através da intuição. Dito e feito, minutos depois me veio, sempre vem. 


Recebi a seguinte resposta: "Lembra aquele dia que você e seu pai passaram muito mal quando aquela cliente apareceu na loja e ficou conversando bastante tempo com vocês? Aquele dia você achou que ela enviou para vocês, sem querer, muita energia negativa né. Pois é, vocês estavam errados. Foi exatamente o contrário. Foram vocês que doaram suas energias demais para ela! Lembra da lei do equilíbrio. Quem tem muito, doa. Quem tem pouco, suga. Vocês estavam com excesso de energia acumulada, fazendo mal a vocês, e ela, como estava com muita falta de energia, acabou sugando todas as suas energias. O que isso quer dizer? Quanto mais você doar, em quantidade, sua energia, de uma vez, mais seu corpo sentirá essa diferença, mais mal passará. É proporcional, entende? Por isso, para não passar mal, deve-se estar sempre procurando formas de doar, caso produza demais e acumule frequentemente. Assim, doa-se menos e não sentirás tanto desgaste físico e energético."

Cara, fez todo o sentido! Entendi perfeitamente o que aconteceu. Lembrei que aquele dia foi estranho. Aquela cliente veio quase no finalzinho do expediente. Voltamos para casa, estava mexendo no computador, quando, de repente comecei a sentir meu corpo mole, dolorido... típico de febre, fui medir e estava com febre baixa. Pensei, ah não, vou ficar com dor de garganta e gripada agora. Mas não estava sentindo nada disso ainda. Estranhei. Acho que fui até me deitar porque estava cansada. Mais tarde falei para meus pais que eu tinha que tomar antitérmico porque estava com febre. Aí meu pai falou que também não estava bem, estava sentado na poltrona vendo televisão como sempre faz, mas dessa vez não soube o que aconteceu, sentiu cansaço, sono forte e irresistível, adormeceu sentado, um sono muito pesado. Mas depois que acordou estava bem. Num primeiro momento não fiz nenhuma conexão. Mais depois me veio a ideia de que pode ter sido aquela cliente que veio na loja e tal. Meu pai também achou isso. Depois de um tempo minha febre passou e estava bem. Percebi que a forma como meu corpo costuma reagir diante de tal situação é tendo febre. No passado, devo já ter tido outras situações semelhantes a essa em que fiquei com febre baixa sem sintomas, mas nunca havia relacionado à perda intensa de energias.

Em relação ao recebimento de respostas às minhas dúvidas, é uma característica que fui desenvolvendo ao longo do tempo... lembro que quando comecei a estudar terapias holísticas, ficava com muito medo de não saber responder uma questão que alguém me fizesse... tipo, não estudei psicologia, não entendia muita coisa de comportamento humano, sentimentos e tal. Como iria ajudar as pessoas? Claro que li muitos livros, absorvi muitos conhecimentos sobre esses assuntos, amava o que fazia, pois achava muito interessante.

Acho que depois de mais ou menos um ano, expandindo minha consciência e entrando mais em contato com o mundo espiritual, certas respostas começaram a vir na minha mente na forma de intuição. É como se tal ser de luz enviasse para mim a resposta ou a ideia, eu captasse, compreendesse e transmitia com minhas próprias palavras. Quantas vezes eu estava fazendo um curso online, enviava a dúvida que tinha por email para meu professor, e antes dele me responder, a resposta vinha na minha mente! Foi dessa forma que fui adquirindo confiança e segurança no recebimento dessas mensagens.

Hoje em dia, são tantas perguntas que recebo pelas redes sociais que, ao ler primeiramente tal pergunta, não sei o que responder... mas decido pensar um pouco ou começar a escrever... aos poucos vem a resposta como uma luva... é óbvio que não sei tudo nem a resposta viria para qualquer tipo de questão... o que eu acredito é que absolutamente todas as perguntas que as pessoas me enviam, eu sei a resposta por meus conhecimentos estudados ou vem através da intuição. Porque se chegou até mim, é porque tenho a capacidade de responder de alguma forma. Nada nos chega sem que tenhamos capacidade de resolver/solucionar/superar/vencer. Pode vir na hora ou demorar algum tempo, mas sempre temos como lidar. Não digo que estou sempre 100% certa, porque minha intuição pode falhar, enganar, equivocar... mas aquilo que vem e faz sentido pra mim, é válido. Quantas ideias, inspirações, informações, textos, palavras que me vem... na qual aprendo muito, pois são coisas inéditas, que não sabia, que não vi anteriormente... vem do nada, de repente, principalmente nas meditações, em momentos relaxantes como no banho quente ou fazendo qualquer outra coisa que não tem nada a ver.

Paula Teshima

São Paulo, 23 de agosto de 2019 

www.paulateshima.com

1 visualização

E-mail:

contato@paulateshima.com

Whatsapp:

(11) 99881.0280

Seg - Sex: 14:00 - 00:00

​​Sábados: 14:00 - 19:00

​Domingos e Feriados: 14:00 - 18:00

  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
Para entrar em contato com a Paula ou sua equipe, utilize o formulário abaixo.

© 2009-2020 Paula Teshima - Todos os direitos reservados.