Quando Abriu-se um Portal em Minha Vida...

Lembro que foi mais ou menos em março deste ano quando eu estava meio triste e desanimada, não sabia o que fazer… quando de repente recebi uma mensagem do ser espiritual na qual sempre me ajuda. 

Ele me disse: “Não se preocupe Paula, algo muito forte e intenso irá te acontecer neste ano…"

Eu, preocupada, perguntei: “Mas é algo bom ou ruim?”


Ele respondeu: “Tudo o que lhe acontece é para o seu bem, você sabe disso… será algo muito grandioso que irá mexer com a sua vida… e você terá uma direção.”

Eu: “Ok, obrigada por saber.”

Ele complementou: “Como eu disse é algo grandioso, você está preparada?”

Eu: “Preparada? Não sei o possa ser… mas eu estou preparada sim, se for algo bom para mim, estou disposta a encarar o que vier.”


(Eu, meio inocente, achando que fosse algo totalmente positivo, fácil, agradável).


Uns 2 meses depois aconteceu! Eu até tinha me esquecido dessa conversa. Só relembrei quando aconteceu essa coisa grandiosa.


De tão belo, incrível, fascinante, perfeito… pareceu que abriu-se um portal em minha vida! Significando que eu estou no caminho certo, que encontrei a minha direção, meu caminho… que está ligado com aquilo que tenho que fazer nesta vida. 


É tão grandioso pois uniu-se tudo o que preciso ou que eu tenho interesse: inglês, desenvolvimento pessoal, mudança de hábitos, trabalho, energia, vida material, vendas online, saúde física, meditação, internet…. tudo isso ao mesmo tempo! Ou seja, eu gerencio todas as áreas da minha vida - estudo, trabalho, diversão, esporte, sono, relacionamentos, meditação.


Sinceramente, parece que todo esse tempo eu vinha fazendo essas coisas de forma separada, um pouco aqui um pouco ali… meio bagunçado… como se nenhuma ou quase nenhuma dessas coisas estivessem inter-relacionadas, e que eu pudesse juntá-las e tirar algum proveito.


O mais incrível foi essa percepção real que eu tive de que as coisas vão acontecendo antes de se tornarem coisas materiais. Aproximadamente 15 dias antes desse evento grandioso acontecer eu comecei a ter umas ideias de fazer certas coisas que eu nunca antes tive vontade. Tipo, do nada, ninguém me falou, ninguém me inspirou, não vi lugar nenhum, simplesmente tive vontade de fazer yoga. Sempre via as pessoas falarem que é bom e tal, mas nunca me dava vontade de fazer. Na verdade, até fiz uma vez, mas não tive vontade de continuar, parece que eu não estava conectada com essa prática. Só fiz porque fazia parte de um curso que paguei caro. Mas dessa vez foi completamente diferente, eu que senti vontade própria, senti necessidade, comecei, amei e não parei mais! É preciso estar ligada, conectada com o momento de cada um, senão não rola. Aprendi a reconhecer quando eu faço algo porque alguém me falou ou vi, e quando vem uma vontade do nada (alma), a diferença é enorme. No entanto, pessoas que não se conectam com sua própria essência ou não sabem fazer isso, precisam de fontes externas (pessoas, propagandas, professores, etc.) para lhes dizer o que fazer.

Outra coisa que senti vontade de fazer foi monitorar o meu dia inteiro, quanto tempo gasto com cada atividade diária. Achei um aplicativo na qual registro todo meu tempo gasto com atividades materiais, trabalho, estudo, sono, diversão, esporte. Minha intenção é equilibrar essas áreas, nem de mais nem de menos. Até hoje monitoro e consigo ver aonde gasto tempo demais, e aonde preciso dar mais atenção.

Outra coisa que senti vontade de fazer foi meditar. Não do jeito que eu meditava antes, mas eu ficava imaginando que eu estava meditando com uma pessoa que eu gosto, que eu estava bem acompanhada, que essa pessoa também gostasse de meditar, que ela me influenciava, que ela me inspirava, que tinha os mesmos interesses que os meus.


Outra coisa que vim fazendo, antes mesmo de saber que algo grandioso iria me acontecer, foi melhorar meu inglês. Não que eu estava focada em estudar especificamente a língua inglesa, mas há uns 6 meses antes eu conheci uma pessoa (americano) que me fez, indiretamente, estar mais em contato com a língua inglesa. Certamente melhorei um pouco minha fala, pronúncia, aprendi novas palavras, frases, e o que mais me exigiu foi a compreensão auditiva. (Não sabia que isso estaria me ajudando para o evento grandioso). Eu tinha que me esforçar para entender o que ele falava pois não tinha tradução nem legendas, e eu queria muito entender. Mas não foi nada tão intenso assim. Era praticamente todos os dias, mas por pouco tempo. O que mais me ajudou foi com as músicas e o canto. Lembro que uma vez eu até tentei estudar a compreensão auditiva com ele mas não deu muito certo porque ele não tem uma boa pronúncia. (Para meu nível era fundamental que eu estudasse com alguém que tivesse uma ótima dicção). Ah, foi com essa pessoa que eu ficava imaginando que eu gostaria de meditar, eu forçava, porque, no fundo, eu sabia que ele não tem o costume de meditar. (Não sabia que essa imaginação estaria me aproximando de uma pessoa que realmente tem o hábito de meditar).


Lembrei que em janeiro eu tive o insight de que seria uma boa se eu começasse a aprender desenvolvimento pessoal com um mentor americano, pois eu achei que iria melhorar bastante o meu inglês. Foi só uma ideia que eu tive, nada demais. Mas essa ideia veio à tona novamente, e decidi colocar em prática. 


A primeira pessoa que me veio à mente foi o Brendon Burchard, pois em 2014 a Paula Abreu fez treinamento com ele, entrevistou-o e acabei conhecendo-o. Lembro que naquele ano eu fui pesquisar mais sobre ele, tentei assistir seus vídeos no youtube, não tinha legenda, não conseguia entender muita coisa, ficava desinteressante, e desisti. 


Mas agora, depois de 4 anos, voltei a assistir seus vídeos e consegui entender muito mais! Porque ao longo desse tempo fui aprimorando meu inglês aos poucos, e também porque agora tinha legenda em inglês. Ficou muito mais fácil assim. Assisti alguns vídeos dele, e fiquei em dúvida o que fazer? O que estou fazendo? Eu devo assistir o mesmo vídeo várias e várias vezes para treinar o inglês, ou avançar logo para outros vídeos para aprender mais o que ele ensina? Eu queria ambos, mas conclui que o inglês era prioridade neste momento. Percebi que ele tem uma ótima pronúncia do inglês e para mim ele fala muito bem em geral. Ele é o cara com quem irei treinar minha compreensão auditiva, pensei. 


Comecei a fazer uma playlist com os vídeos que eu tinha que assistir de novo, de novo, de novo… ouvia todos os dias, ao fazer exercícios, ao caminhar, nas horas vagas…. era um duplo estudo! Estava aprendendo inglês e desenvolvimento pessoal ao mesmo tempo! E estava dando certo! Meu insight estava certo! Aos poucos fui conhecendo mais o trabalho dele, sua história, seus livros e cursos. 

Depois de 3 dias ouvindo e lendo as transcrições, resolvi adquirir um de seus cursos pagos. Dentre tantos vídeos com temas diferentes para assistir, o primeiro que assisti foi o seu vídeo postado mais recentemente sobre o tema: Como ser três vezes mais confiante. (Não foi por acaso que eu me deparei com esse vídeo neste momento em minha vida). Eram 1h30, e isso foi capaz de tirar meu sono. A pior coisa que posso fazer é adquirir qualquer curso a essa hora. Não deu outra. Fiquei até umas 4 horas da madrugada assistindo! Posso dizer que foi ótimo (o conteúdo), surpreendente e revelador (para mim). Os vídeos de seus cursos não tem legenda, não tem transcrição. Eu tive que prestar muita atenção para entender seu inglês e o conteúdo. Conforme fui assistindo, não acreditei o quanto eu conseguia compreendê-lo! Fiquei muito surpresa e orgulhosa de mim mesmo. Nossa, não esperava! E ainda eu tinha foco e atenção total porque a essa hora da madrugada não tinha nenhum barulho ou distração perto de mim. Foi incrível! E em relação ao que ele ensina, nossa, nunca tinha visto explicações tão profundas sobre esse tema. E olha que isso era tipo uma palestra, ele tem o curso completo falando muito mais sobre esse tema.

Perguntei à sua equipe se eles tem legenda em inglês, disseram que infelizmente não. Então eu tinha que dar um jeito, porque era importantíssimo saber cada palavra que ele está falando, precisava muito do texto. Nesse momento eu entendia uns 80% do que ele falava. Tive uma ideia. Se eu assisto seus vídeos no youtube com a legenda ou transcrição automática, então qualquer vídeo que eu postar lá terei o texto. Então baixei os vídeos desse curso e fiz upload no youtube como vídeo privado. Pronto! Consegui! E foi assim que passei de 80% para 99%. Esse era meu sonho! Compreender o que ele fala (pelo menos ele), sem necessidade de legendas. Assim não tenho esse trabalho de fazer download e upload. E também posso compreendê-lo facilmente ao ouvir seus podcasts, quando faz seus vídeos no stories, nas suas publicações nas redes sociais, entrevistas, e até quando eu for no seu evento ao vivo! 

1% que não compreendo se refere a palavras que não sei ou não lembro o significado (mas mesmo assim dá para entender o contexto), expressões culturais, siglas, gírias, ou quando fala rápido demais ou para dentro. Fora isso, depois de uns 10 dias ouvindo, lendo e estudando muito, virou moleza. Até faço minhas anotações ao mesmo tempo que ouço-o, nem fico mentalmente traduzindo tudo o que fala. Se hoje continuo assistindo através do youtube com legendas? Sim! Porque sempre tem uma palavra ou frase nova para aprender, ou para confirmar se aquilo que ouvi está correto. (Tem horas que ele fala rápido demais, e se eu não treinar meu ouvido para entender exatamente o que ele fala, nas próximas vezes continuarei não entendendo). 


Posso dizer que foi assim que passei a entender o inglês falado. Foi rápido assim porque teve um detalhe importante: meu senso de urgência era altíssimo! Eu precisava compreendê-lo perfeitamente em 12 dias, porque iria ter a livecast do mês, obviamente, sem legendas. Eu queria entender e participar. Você não imagina o quanto me esforcei (mas não foi tão árduo assim porque, como disse, eu amo o que eu faço). Passado os 12 dias de estudo meu inglês estava ok, estava preparada, mas ele teve que adiar, então tive mais 5 dias extras para aprimorar mais ainda. E no dia D, foi super tranquilo, perfeito, valeu todo o esforço e dedicação. Mas isso não significou que eu parei de estudar inglês, pelo contrário, agora tracei metas mais ousadas e desafiadoras. Enfim, posso dizer que o meu inglês deu um salto gigantesco após ter conhecido o Brendon, além de um monte de outras coisas novas que venho aprendendo com ele.

Como disse anteriormente, essas vontades que surgiram do nada (yoga, meditação, equilibrar minhas atividades, etc.) estavam relacionadas com o Brendon. Eu não tinha consciência disso, mas a minha alma sentia, por isso que me deu essas vontades. Posso dizer que é como se eu já estivesse sincronizada ou alinhada com os ensinamentos do Brendon. Eu captei algumas coisas que eu já podia inserir em minha vida.  Mas por algum motivo, ainda não era o momento ideal de reencontrar o Brendon e começar essa jornada de grande transformação.

Foi no dia 12 de maio de 2018, o dia que se materializou o que estava ainda no plano espiritual ou das energias. É como se eu tivesse encontrado o portal relacionado a minha missão de vida, àquilo que vim trabalhar em mim nesta existência. Olhando para trás, tudo o que vim vivenciando, meus gostos, preferências, caminhos… parece que agora tudo faz sentido, não era à toa que eu sempre gostava de inglês, não era à toa que eu sempre gostava de ficar observando o comportamento das pessoas, não era à toa que eu sempre tive certos problemas físicos… tudo tinha um motivo, eu só não entendia o porquê. Mas agora que eu entendo e vejo um significado, a compreensão, o perdão a mim mesma e a aceitação emergem de forma natural.

Sinceramente, eu acredito que isto estava previsto em minha vida, caso eu tenha escolhido, ao longo do tempo, o caminho nessa direção. Porque, como disse, parece que tudo aquilo que eu vinha fazendo se juntou numa coisa só. 

Não tenho um pingo de dúvida que as coisas acontecem na hora certa. Pensei, se eu conheci o Brendon em 2014, porque isso tudo não aconteceu naquela época e só agora? Por três motivos: 1. Eu não tinha condições de entendê-lo por conta do meu nível baixo de inglês. 2. Eu não sabia quase nada de desenvolvimento pessoal, psicologia humana, etc. Ou seja, teria uma imensa dificuldade de entender seus ensinamentos. 3. Eu tinha que viver, experienciar e conhecer as pessoas que conheci nesses 4 anos, pois, de alguma forma, assim seria o melhor para mim. Então, eu não sinto nenhum remorso ou lamentação por só agora ter acontecido isso. E dou graças por tudo o que aprendi e vivi nesses anos.

Por que fiquei fascinada com o trabalho do Brendon Burchard? Certamente não é só por causa da sua história pessoal e seus esforços, mas acredito porque, pessoalmente, identifiquei muitas coisas que temos em comum na qual eu estava precisando de ajuda e instrução. Como diz o ditado: “Quando o aluno está pronto, o mestre aparece”. Também aprecio o modo como ele ensina, como fala, como sente, como se importa com seus alunos, como oferece tantos presentes… Uma vez até pensei, se há tantos mestres aqui no Brasil que falam sobre o mesmo tema que ele, por que eu iria seguir ele, ter que aprender inglês… não é somente por causa que os conhecimentos dele vem de um país de primeiro mundo, que é o melhor que existe no mundo todo… não! Acredito que existam mestres melhores ou tão bons quanto ele por aí, a única diferença é que ele se destacou no mundo inteiro porque ele nasceu num país que fala inglês. A minha intenção não é ficar criticando ou julgando ninguém. A questão é que não existe ninguém igual a ele que ensina exatamente as mesmas coisas, do jeito dele. E se eu me identifiquei com ele, e está melhorando a minha vida, ótimo! 


Eu diria que fiquei um mês vivenciando coisas boas, aprendendo muito, acontecendo coisas positivas… mas depois isso se tornou um problema. Fiquei focada demais nos estudos e deixei a vida material um pouco de lado. Isso prejudicou o funcionamento dos meus charcras inferiores, pois concentrava e exigia muita energia mental ligada aos charcras superiores. Tive péssimos dias por conta do meu desequilíbrio energético que afetou meu equilíbrio físico. Obviamente, isso não acontece com todo mundo. Pessoas mais sensíveis podem sentir mais essas consequências. Não que seja uma coisa totalmente ruim, mas talvez essa sensibilidade seja uma ferramenta que foi dada a essas pessoas, porque seus mentores espirituais sabem que elas iriam fazer algo (positivo) com isso. 


Aí eu pensei, ah, aquela conversa com esse ser espiritual que me ajuda… ele me disse que iria ser algo bom e grandioso… sim, é verdade, mas eu não sabia que iria ter momentos desafiadores também… acredito que eles não dizem isso para não nos desanimar, porque uma vez tendo experienciado o lado bom, teremos muito mais força para superar os desafios e querer continuar nessa incrível jornada. É lógico que ele sabia que esse problema teria uma grande chance de ocorrer porque eu não tinha me mudado. Mas, ele também sabia que eu iria aprender com isso, que eu iria fazer algo para me ajudar, que eu iria superar isso. É aquela história de quando você vive algo muito bom, de repente, acontece algum problema/desafio, aí você procura ajuda, tenta entender o que acontece ou se esforça para mudar o que não está legal para poder continuar vivenciando aquilo que você tanto ama. Mas o que aconteceu comigo é assunto para outro post pois este já está muito longo.

Para finalizar, todo este “esforço” valeu muito a pena para mim. Assim que voltei a seguir o Brendon, tive que fazer certas escolhas. Deixei para trás todos os meus mentores/professores que eu seguia aqui no Brasil há uns 4 anos. Foi difícil. Mas era necessário para eu ficar focado no inglês. Não podia ficar ouvindo o português junto com o inglês, se eu queria aperfeiçoar minha compreensão auditiva. Claro que se a minha vida fosse só estudar, até poderia conciliar ambos. Mas com essa vida agitada de hoje, temos que fazer escolhas de acordo com nossas prioridades. E com certeza, foi o melhor que pude fazer.

Se você não conhece o Brendon Burchard, clique aqui. Ele é o cara que ensina um monte de coisas interessantes para ter uma vida de alta performance - ensina diversos aspectos sobre a psicologia humana, como gerenciar a energia pessoal, recomenda a prática de yoga, meditação, exercícios respiratórios, gatilhos mentais, como lidar com as pessoas, como ser um coach de alta perfomance, como organizar sua agenda e seu dia, também ensina internet marketing, vendas online, divulgação, negócios. Paula Teshima


São Paulo, 1 de junho de 2018 

www.paulateshima.com

0 visualização

E-mail:

contato@paulateshima.com

Whatsapp:

(11) 99881.0280

Seg - Sex: 14:00 - 00:00

​​Sábados: 14:00 - 19:00

​Domingos e Feriados: 14:00 - 18:00

  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social
Para entrar em contato com a Paula ou sua equipe, utilize o formulário abaixo.

© 2009-2020 Paula Teshima - Todos os direitos reservados.